Páginas

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Resenha: “O Arqueiro” – A Busca do Graal #1, de Bernard Cornwell

A leitura desta obra compõe o primeiro livro do Desafio Realmente Desafiante, pois o autor Bernard Cornwell é de origem inglesa. O volume compreende o grupo do SkoobLivro Viajante”, o qual proporciona a oportunidade de ler vários livros muito bons!

Autor: Bernard Cornwell
ISBN:
8501061700
Páginas: 450
Editora: Record
Ano:
2004

Avaliação: 4 estrelas

Sinopse: Aos 18 anos apenas, Thomas vê o pai morrer em seus braços após um ataque-surpresa à aldeia de Hookton. Um lugar simples que escondia um grande segredo: a lança usada por São Jorge para matar o dragão, uma das maiores relíquias da cristandade. Em busca de vingança contra um homem conhecido apenas como Arlequim, o rapaz, um arqueiro habilidoso, se junta ao exército inglês em campanha na França, onde se envolve em batalhas e aventuras que, sem perceber, lançam-no na busca do lendário Santo Graal. Com este romance, Bernard Cornwell usa o cenário da Guerra dos Cem Anos para dar início a uma saga tão empolgante quanto as aventuras de Artur e seus cavaleiros. Narradas em As Crônicas de Artur, que transformaram para sempre a imagem daqueles heróis míticos.

“O Arqueiro” foi o primeiro livro sobre a era medieval que li – pra valer, pois já havia lido “Robin Hood” em uma versão que continha apenas 48 páginas, um “resuminho” que não me saciou – e posso dizer que foi muito bom! Bernard Cornwell me fez almejar quer ler outros livros de ficção histórica, principalmente se forem da autoria dele.

O começo do livro é bem arrastado, e um pouco confuso por causa dos vários personagens que são apresentados. Mas após a página 80 (lembram que no vídeo da caixa de correio eu estava na página 75? rs) as coisas melhoram muito! Nos meados do livro, chegou a um ponto que não queria parar de ler!

Os personagens da obra são muito interessantes. Todos têm um alvo, e muitas vezes agem sem considerar o outro, só para atingir os objetivos. Em contra partida estão os arqueiros, que servindo ao Reino Inglês, são acima de tudo amigos e estão sempre tentando protegerem-se.

Outro ponto relevante é que o livro aumenta o vocabulário dos leitores, principalmente com o nome de armas medievais que hoje em dia não são muito conhecidas. Exemplo disso são as cimitarras, as setas de bestas e os arcos ingleses – o último é conhecido, mas não é aquele arco original, (clique os links das palavras para ver a foto das armas). Além de trazer um maior conhecimento de história e também geográfico da região, por causa dos lugares que são citados, como a Bretanha e a Normandia, mas que hoje estão situados na França.

Apesar de o livro ser de ficção histórica, apenas duas partes dele não aconteceram de verdade (isso é explicado ao final). Este fato parece ser bom de início, mas se pararmos para analisar, não é. Mostra que várias das barbaridades que ocorrem na narrativa realmente aconteciam no século XIV.

Recomendo “O Arqueiro” para aqueles que são fortes, e não se importam em ler sobre morte, guerra, abusos contra mulheres. Assim também, para aqueles que gostam de história e querem aprender mais sobre a Inglaterra e a França durante a Guerra dos Cem Anos.

Mariana C. Mendes

3 comentários:

  1. Oi Mari!

    Confesso que fiquei bem curiosa agora!
    Não leio muito livros com caráter histórico, mas fiquei curiosa!

    Bom começo de desafio!
    ;D

    Bjinhos
    Psiu!
    Silêncio Que Eu To Lendo!!

    ResponderExcluir
  2. Ei Mari!
    Também to looooooooooca pra comprar o DVD de Um Dia,mas até hoje,nada de ser lançado hhahahaha!

    Nunca li nenhum livro desse tipo,medieval sabe?Minha amiga ta lendo osegundo do Guerra dos Tronos e posso afirmar que é quase maior que a Biblía!! kkkk !

    Boa sorte ai em fevereiro no desafio ;)

    mintpeppersalt.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Eu li O Rei do Inverno do Cornwell e me encantei com a narrativa e os detalhes históricos e geográfico que ele põe na história, mas de um jeito que não deixa nada ficar chato, e sim, mais interessante. Assim que eu terminar Crônicas de Artur, vou mergulhar de cabeça nessa trilogia!

    ResponderExcluir

Fique à vontade de deixar um comentário. Só cuidado com a forma de se expressar, nada de ofensas! Sua participação é muito importante no "Ler é Conhecer", ;)!