Páginas

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Resenha: “Coração Roubado”, de Patricia Thayer

imageA leitura desta obra compreende o primeiro livro do mês de fevereiro do Desafio Literário 24/12 (2.0), pois o é um romance de banca.

 

 

image

Autor: Patricia Thayer
ISBN: 9788539800186
Páginas: 192
Editora: Harlequin Books
Ano: 2010

Avaliação: 3 estrelas

Sinopse: A presença de Cole Parrish no rancho significava apenas uma coisa: trabalho. Nada mais. Ele não se estabeleceria por lá, e certamente não permitiria que Rachel o seduzisse com sua beleza. Mas tudo mudou quando um bebezinho foi deixado aos cuidados dela… e Rachel teve de assumir o papel de mãe da noite para o dia. Para cuidar da menininha, seria necessária toda a ajuda possível. Mas Cole não podia ficar… E ele jamais prometera nada. Até que o coração de Rachel foi arrebatado quando viu o soturno caubói embalando a neném em seus braços dia após dia. Rachel agora tinha uma dúvida… se Cole estava tão determinado a ir embora, por que ele ainda não tinha partido?

Não sou muito fã desse tipo de literatura, tanto é que antes deste, só havia lido um romance de banca em toda a minha vida. Como tinha que ter outros romances para o desafio, eu resolvi comprar “Coração Roubado” por causa da sinopse e também por conta da capa que é bem fofa – diferente da maioria das outras, nas quais os casais estão “se pegando”.

Tanto quanto a capa, a leitura de “Coração Roubado” foi bem leve. Como o livro é pequeno, o li em dois dias. Apesar de muitas frases poderem ser levadas para o lado sensual, por envolver um bebê na história, o lado sexual não é o mais explorado.

Mas, visando esse lado, é sem noção a protagonista nunca ter namorado alguém. Ela é uma mulher de trinta e tantos e em toda a vida, deu apenas um beijinho na adolescência? Tudo bem que o pai dela foi um homem bruto, mas o medo dela foi a esse extremo de não ter relacionamentos amorosos? O que é ainda mais estranho, é que depois que conhece o Cole, ela não é mais tão reprimida como sempre foi. Essa mudança foi repentina, a Rachel muda da água para o vinho. Não foi coerente.

Entretanto, o livro explora uma parte dos Estados Unidos da qual não sabia muitas informações: o estado do Texas. Comenta sobre a cultura de lá e percebe-se que a economia é agrária, sendo que a Rachel tem um rancho e o Cole trabalha para ela.

Recomendo o livro para aqueles que têm preconceito contra romances de banca – afinal, eu tinha bastante, mas sabendo escolher, dá para ler –, e também para quem não tiver no tédio numa tarde verão.

Mariana C. Mendes

Obs.: Não consegui cumprir o desafio esse mês. Ficou faltando “Anos Roubados”, que eu ganhei da Di. Mas, eu vou lê-lo ainda esse ano. É que esse mês de fevereiro foi complicado, =/!

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

PROMOÇÃO "Feliz 2, 1000 e 12" em parceria com Maurício Gomyde

Todo mundo sabe que o ano no Brasil só começa pra valer depois do carnaval. Sendo assim, o Ler é Conhecer e o Maurício Gomyde desejam um “Feliz 2012” para vocês, ;)!

Vamos sortear:

  • 2 livros do Maurício Gomyde: “O Mundo de Vidro” e “Ainda não te disse nada” (resenha);
  • 1000 romances em formato digital para E-book;
  • 12 romances:
  1. “A Hospedeira” – Stephenie Meyer;
  2. “Ame o que é seu” – Emily Giffin;
  3. “A Mulher do Viajante no Tempo” - Audrey Niffenegger;
  4. “Anna e o Beijo Francês” – Stephanie Perkins;
  5. “Julieta Imortal” – Stacey Jay;
  6. “Morte e Vida de Charlie St. Cloud” – Ben Sherwood;
  7. “O Diário de Suzana para Nicholas” – James Patterson;
  8. “Pequena Abelha” – Chris Cleave;
  9. “Questões do Coração” – Emily Giffin;
  10. “Um Amor para Recordar” – Nicholas Sparks;
  11. “Um Dia” – David Nichols;
  12. “Um Homem de Sorte” – Nicholas Sparks;
  • E, de quebra, você leva um Kindle Touch!

Para ganhar é simples. Basta seguir as seguintes regras:

  1. Ser seguidor do blog “Ler é Conhecer” pelo GCF (Google Connect Friend). Basta clicar ao lado em “Participar deste site”, tendo uma conta no Google ou Twitter ou Yahoo!
  2. Curtir o perfil do Maurício no Facebook: http://www.facebook.com/mauriciogomydeEscritor
  3. Curtir e deixar um Comentário “Eu curto o blog Ler é Conhecer” no banner. Obs.: O comentário no banner é 1 chance no sorteio. Você pode comentar 1 vez apenas. Se você Compartilhar o banner, multiplica a chance por 10!
  4. Deixar um comentário nesse post com nome de seguidor do blog, e-mail e nome ou URL do seu perfil do Facebook.

O sorteio será dia 18/03 e realizado pelo próprio Maurício Gomyde, no http://www.mauriciogomyde.com, via Random.org.

Mariana C. Mendes

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Resenha: “Diários do Vampiro #4: Reunião Sombria”, de L. J. Smith

Essa resenha deveria ter sido publicada há bastante tempo, mas como havia escrito à mão, só agora estou digitando e enfim publico-a! Como toda a série foi resenhada no modelo “antigo” – sem a sinopse – esse volume também será. Tenho uma pequena observação antes de tudo: Visitei a página do livro no Skoob e ao ler a sinopse percebi que era um resumo do livro, pois conta toda a história, .-.! Como o site deixa acessível a qualquer um uma “sinopse” assim, cheia de spoilers?

Enfim, vamos ao que interessa:

Título original:The Vampire Diaries – Dark Reunion”
ISBN: 9788501089816
Páginas: 252
Editora: Galera Record
Tradutor:
Ryta Vinagre
Ano: 2010
Avaliação: 2 estrelas

Essa resenha contém spoilers dos livros anteriores: “Diários do Vampiro #1: O Despertar”, “Diários do Vampiro #2: O Confronto” e “Diários do Vampiro #3: A Fúria”. Se não tiver lido-os ainda, clique nos títulos dos livros para ler as resenhas.

Em “Diários do Vampiro #4: Reunião Sombria”, quem escreve no diário é a Bonnie, pois a Elena morreu no livro anteriores. Muitas coisas estranhas – mais que o “comum” – estão acontecendo em Fell’s Church e para alertar aos amigos – Bonnie, Meredith e Matt – Elena tenta se comunicar com eles.

Mas, durante os contatos, sempre acontece uma interrupção – um novo Poder agindo sobre a cidade. Se essa interrupção fosse uma coisa razoável, até que a leitura seria menos repugnante... Tem uma parte que é muito nojenta! Argh! Todas essas situações desconfortáveis me fizeram refletir se era um livro sobre vampiros ou que?

Apesar desse desconforto, tem algumas revelações que valem à pena a leitura. Um diálogo do Stefan com o Matt me fez refletir bastante, falava sobre o sentido da vida. Achei super interessante!

Nesse volume, alguns fatos e personagens se assemelham mais à série de TV. Anteriormente, em uma das resenhas dos outros livros, eu estava em cima do muro e não tinha decidido qual era o melhor: os livros ou a série. Mas depois de Reunião Sombria, com certeza a série de TV é melhor.

O final do livro deixa muitas dúvidas! O jeito que as coisas ocorram foi muito sem sentido, palavras que se tornaram “mágicas” e fizeram as coisas acontecerem. Muito repentino e fácil. Mas, sou persistente e estou lendo “Diários do Vampiro #5 – O Retorno: Anoitecer”. Veremos o que eu achei na resenha dele, que sairá até o fim do mês.

Obs.: Esse livro decepcionou bastante, olha a diferença de nota entre “A Fúria” que foi 5 e ele sendo 2! :(

Mariana C. Mendes

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Resenha: “O Arqueiro” – A Busca do Graal #1, de Bernard Cornwell

A leitura desta obra compõe o primeiro livro do Desafio Realmente Desafiante, pois o autor Bernard Cornwell é de origem inglesa. O volume compreende o grupo do SkoobLivro Viajante”, o qual proporciona a oportunidade de ler vários livros muito bons!

Autor: Bernard Cornwell
ISBN:
8501061700
Páginas: 450
Editora: Record
Ano:
2004

Avaliação: 4 estrelas

Sinopse: Aos 18 anos apenas, Thomas vê o pai morrer em seus braços após um ataque-surpresa à aldeia de Hookton. Um lugar simples que escondia um grande segredo: a lança usada por São Jorge para matar o dragão, uma das maiores relíquias da cristandade. Em busca de vingança contra um homem conhecido apenas como Arlequim, o rapaz, um arqueiro habilidoso, se junta ao exército inglês em campanha na França, onde se envolve em batalhas e aventuras que, sem perceber, lançam-no na busca do lendário Santo Graal. Com este romance, Bernard Cornwell usa o cenário da Guerra dos Cem Anos para dar início a uma saga tão empolgante quanto as aventuras de Artur e seus cavaleiros. Narradas em As Crônicas de Artur, que transformaram para sempre a imagem daqueles heróis míticos.

“O Arqueiro” foi o primeiro livro sobre a era medieval que li – pra valer, pois já havia lido “Robin Hood” em uma versão que continha apenas 48 páginas, um “resuminho” que não me saciou – e posso dizer que foi muito bom! Bernard Cornwell me fez almejar quer ler outros livros de ficção histórica, principalmente se forem da autoria dele.

O começo do livro é bem arrastado, e um pouco confuso por causa dos vários personagens que são apresentados. Mas após a página 80 (lembram que no vídeo da caixa de correio eu estava na página 75? rs) as coisas melhoram muito! Nos meados do livro, chegou a um ponto que não queria parar de ler!

Os personagens da obra são muito interessantes. Todos têm um alvo, e muitas vezes agem sem considerar o outro, só para atingir os objetivos. Em contra partida estão os arqueiros, que servindo ao Reino Inglês, são acima de tudo amigos e estão sempre tentando protegerem-se.

Outro ponto relevante é que o livro aumenta o vocabulário dos leitores, principalmente com o nome de armas medievais que hoje em dia não são muito conhecidas. Exemplo disso são as cimitarras, as setas de bestas e os arcos ingleses – o último é conhecido, mas não é aquele arco original, (clique os links das palavras para ver a foto das armas). Além de trazer um maior conhecimento de história e também geográfico da região, por causa dos lugares que são citados, como a Bretanha e a Normandia, mas que hoje estão situados na França.

Apesar de o livro ser de ficção histórica, apenas duas partes dele não aconteceram de verdade (isso é explicado ao final). Este fato parece ser bom de início, mas se pararmos para analisar, não é. Mostra que várias das barbaridades que ocorrem na narrativa realmente aconteciam no século XIV.

Recomendo “O Arqueiro” para aqueles que são fortes, e não se importam em ler sobre morte, guerra, abusos contra mulheres. Assim também, para aqueles que gostam de história e querem aprender mais sobre a Inglaterra e a França durante a Guerra dos Cem Anos.

Mariana C. Mendes

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Na minha caixa de correio #2: Janeiro/2012

Olá queridos leitores!

Vamos assistir o vídeo do mês de janeiro? Cheio de livros, UH-HUH!

Um meme criado pela Kristi do The Story Siren.

Livros:

Presentes da queridíssima Di do amigo secreto do Livro Viajante!

  • ”Anos Roubados” – Fiona Hood-Stewart;
  • ”Mini Becky Bloom – Tal mãe, Tal filha” – Sophie Kinsella;
  • ”A última música” – Nicholas Sparks;
  • Caixa de madeira decopada com tema da série de TV “The Vampire Diaries”, <3;
  • Agenda de “The Vampire Diaries”, <3;  
  • Vários marcadores e primeiros capítulos.

Livro Viajante 569:
“Leo e as Caixas de Música” – Ricardo Prado (resenha)

Livro Viajante 516:
“O Arqueiro” – Bernard Cornwell (resenha)

Livros do curso de Inglês:

  • ”Interchange 2: Workbook”
  • “Interchange 2: Student’s Book”

Prêmios da promoção do blog “Pensando e Lendo”:

  • Ecobag de “Caixas de Desejos” (livro da autora Ana Cristina Machado);
  • Lápis de “Caixa de Desejos”;
  • Marcadores “Caixas de Desejos” e “De volta à Caixa de Desejos” autografados pela autora;
  • Marcadores variados.

Mariana C. Mendes

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Um Desafio Realmente Desafiante


Aos 45 do 2º tempo resolvi participar de um novo desafio literário! Ele também não é muito complicado, mas é desafiante mesmo! Vocês vão ver pelos temas de cada mês:
  1. Janeiro: Ler um livro de um autor europeu!
    “O Arqueiro” – Bernard Cornwell (O autor é inglês) – RESENHA

  2. Fevereiro: Ler um livro que tenha um personagem com a inicial do nome igual a do seu nome.
    “Diários do Vampiro – O Retorno: Anoitecer” – L. J. Smith (Personagem Meredith) – RESENHA

  3. Março: Ler um livro com a capa verde, vermelha ou azul.
    ”Diário de Uma Paixão” – Nicholas Sparks (A capa é azul) – RESENHA

  4. Abril: Ler um livro que tenha cenas que se passem na África ou na Ásia. Não precisa ser o livro todo, mas pelo menos algumas cenas!
    Transplante de Menina – Tatiana Belinky
  5. Maio: Ler um livro que seja o último de alguma série.
    “Mini Becky Bloom – Tal Mãe, Tal Filha” – Sophie Kinsella (Presente de amigo secreto do Livro Viajante de 2011, enviado pela Di) – RESENHA
  6. Junho: Ler um livro que Virou Filme.
    “Água para Elefantes” - Sara Gruen (A adaptação é de 2011, estralada por Robert Pattinson e Reese Whiterspoon) – RESENHA

  7. Julho: Ler um livro com mais de 500 páginas.
    A Hospedeira” – Stephenie Meyer (O livro contém 560 páginas) – RESENHA

  8. Agosto: Ler um livro lançado no ano do seu nascimento.
    “Do Amor e Outros Demônios” – Gabriel García Márquez (lançado em 1994) – RESENHA
  9. Setembro: Ler um livro de um autor que já é falecido.
    “Depois da Escuridão” – Sidney Sheldon (Falecido em 30 de janeiro de 2007) – RESENHA

  10. Outubro: Ler um livro de um autor do seu estado.
    “Gincana da Morte” – Marcos Rey (nascido na cidade de São Paulo – SP) – RESENHA

  11. Novembro: Ler um livro bem fininho. Com menos de 200 páginas.
    “Sou Louca Por Você” – Federica Bosco (O livro contém 183 páginas) – RESENHA

  12. Dezembro: Ler um livro que você tenha ganho de presente.
    “A Última Música” – Nicholas Sparks (Presente de aniversário do amigo secreto do Livro Viajante de 2011, enviado pela Di) – RESENHA

Gostou do desafio? Acha que consegue cumpri-lo? Então, é só clicar na imagem do começo do post para ser redirecionado ao blog Silêncio que estou lendo, que é o organizador deste desafio realmente desafiante.

Mariana C. Mendes