Páginas

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Resenha: “A outra face – História de uma garota afegã”, de Deborah Ellis

img046
Autor: Deborah Ellis
ISBN: 9788508084272
Páginas: 128
Editora: Ática
Ano:
2010
Avaliação: 5 estrelas

A obra trata sobre a vida de Parvana, uma garota afegã de 11 anos, durante o regime do Talibã. A história da garota não é verídica, mas é inspirada em relatos obtidos pela autora Deborah Ellis em campos de refugiados.

Talibã é um “governo” presente no Afeganistão entre 1994 e 2001, apesar de ainda hoje terem pessoas apoiando e fazendo parte do movimento. É visto como terrorista por alguns países.

A família de Parvana tinha uma boa estabilidade econômica. Mas, começou a guerra com a antiga União Soviética, e posteriormente a guerra civil promovia pelos Talibãs, o que gerou vários bombardeios em Cabul, capital do Afeganistão. As bombas atingiram a casa da família, que teve que se refugiar em locais cada vez menores, sempre se mudando quanto uma bomba acabava com a moradia em que estavam, até chegarem ao ponto de morarem em um único quarto alugado.

O regime Talibã impôs que as mulheres não pudessem andar nas ruas desacompanhadas de um homem. Assim também, impôs que elas deveria usar a burca (uma roupa que as cobre dos pés à cabeça, apenas tendo a abertura no espaço dos olhos) fora de casa. Com duas irmãs, um irmão bebê, a mãe e o pai, a única pessoal que podia sustentar a família e exercer a função de acompanhante, era o pai.

O que fazer quando sem mais nem menos Talibãs invadem a casa e levam o pai da família? Como sobreviver em uma sociedade que é liderada por extremistas islâmicos que proíbem as mulheres de trabalharem? Qual a solução que a família de Parvana dará para o problema?

O jeito que a família encontrou para solucionar o problema foi bem inusitado. Para Parvana foi um pouco difícil, mas sabia que era o único modo de ajudar. A decisão que ela tomou é muito importante, e mostra que o amor à família dela está acima de muitas coisas.

Uma das piores proibições dos Talibãs (que pasmem, significa ‘estudantes’) foi não permitir que meninas estudassem. A mãe e o pai de Parvana são formados em universidades inglesas, os filhos estudavam e estavam construindo um bom futuro. Os talibãs, de estudantes, não têm nada.

Recomendo o livro para pessoas que gostam livros com contexto histórico, que querem se inspirar em uma personagem forte como Parvana, e até mesmo para àquelas que têm horror a livros enormes e que estão a fim de ler algo curto e rápido.

“A outra face – História de uma garota afegã” tem uma continuação intitulada “A Viagem de Parvana”, o qual estou quero muito ler!

9 comentários:

  1. Achei legal a história do livro, meio triste pelo que li, mais parece ser bem interessante

    ResponderExcluir
  2. E, é, realmente assim!
    Obrigada pelo comentário!

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde, Mari!

    Gostei bastante da escolha e da resenha. Gosto muito de livros históricos (e pelo visto há muito tempo não leio algum ]= ) e achei este de uma qualidade ímpar. Meus parabéns!

    Um grande abraço!
    Blog Seis Milênios

    ResponderExcluir
  4. que capa lindaaaaaaaaaaaa *.* eu quero já! kkkkkkkkkkkk
    feliz ano novo! :D
    beijão

    papeldeumlivro.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não julgue o livro pela capa,só porque ele tem uma capa ''linda'' não quer dizer que seja bom.

      Excluir
  5. Adoro livros com esse tema. Depois de ler sua resenha, fiquei com muita vontade de ler esse. Já li os livros do Khaled Hosseini e gostei MUITO, então acho que também vou gostar desse. Parabéns pela resenha!

    Beijos!

    http://aultimacanafistula.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Eu gostei muito do blog e a capa do livro ta linda parabéns ... Você por acaso teria esse livro em PDF , ou sabe indicar um link onde eu possa consegui-lo , ... gostaria de perpetuar essa história fascinante para uns amigos . Obrigada .

    ResponderExcluir

Fique à vontade de deixar um comentário. Só cuidado com a forma de se expressar, nada de ofensas! Sua participação é muito importante no "Ler é Conhecer", ;)!