Páginas

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Peça: “Memórias de um Sargento de Milícias”

Segunda-feira eu fui com o colégio ver a peça “Memórias de um Sargento de Milícias”. Achei muito importante a iniciativa do colégio de nos levar a um teatro. Além de ser um programa bem cut, é super acessível e incentiva o aluno a apreciar obras importantes da literatura brasileira de uma forma diferente, não necessariamente lendo o livro.

A peça é apresentada no Teatro Lucas Pardo Filho pelo Grupo Ria. No blog do grupo tem toda a história de como o Ria surgiu, explicações sobre as obras apresentadas, fotos do elenco, contato, enfim, todas as informações.

Memórias de um Sargento de Milícias” foi publicado em folhetim entre 1852 e 1853, depois foi publicado como de livro em 1854. Pertence ao período literário do Romantismo, que abrange os anos de 1836 a 1881 no Brasil. É de autoria de Manuel Antônio de Almeida e é uma obra de transição para outro período literário, o Realismo.

Ficha técnica da peça:

Direção e Adaptação: José Paulo Rosa
Assistente de Direção: Ailson Leite
Elenco:
Alessandra Lia
Andreza Rebucci
Chico Satiro
Eduardo Bearzoti
Gabriel Geraldini
Ila Ribeiro
Leo Maya
Marina Jorge
Rogério Lima
Figurino: O Grupo
Cenografia: José Paulo Rosa
Op. Luz: Tiago Cavasin
Som: Ailson Leite

A peça segue a ordem cronológica dos fatos, o livro não.

A apresentação começa na viagem de navio de Portugal para o Brasil no século XIX. Foi nessa viagem que Leonardo-Pataca conheceu a Maria das Hortaliças, com a qual teve um filho, o Leonardinho.

Mas, o coitado  do Leonardo-Pataca vivia sendo chifrado e na realidade, Leonardinho não era filho dele, mas durante toda a vida foi “considerado” como se fosse (considerado pois nem sempre esteve aos cuidados do pai). Depois de uma confusão por Maria ter sido descoberta como adultera, ela vai embora e deixa Leonardinho aos cuidados do padrinho e da madrinha.

O menino cresce, já está com 7 anos, é o mais “ENDIABRADO” da região, vive fazendo graças com os clientes do padrinho, que é barbeiro, uns clientes riem, mas outros ficam muito zangados com a criança.

Com 17 anos, ele não tem nenhum ofício e continua a arrumar confusões na vizinhança. E se ele não tomar jeito, o Sargento Vidigal irá prendê-lo.

Essa foi uma parte do enredo, para saber o resto leia o livro e se possível, veja a peça, né?!

A peça é super engraçada! Não posso esquecer de mencionar o bordão: “E CHIBATA!", rs! O elenco atua super bem!

Mas, não poderia faltar esse comentário: O Leonardinho, na verdade o Gabriel Geraldini, ao fim da peça, é de tirar suspiros da plateia feminina! Não posso comentar o que ele fez, porque se não estraga a surpresa, mas… MEL DELS, :$! Eu estava fazendo a pesquisa para fazer o post, e descobri que ele também atua em outra peça do Grupo Ria: “O Cortiço”, como o João Romão, um personagem muito importante! =D

Focando no elenco em geral novamente, é incrível a transformação entre o personagem e o ator. Os atores e atrizes são lindos, mas os personagens são um pouco estranhos e quando vemos o elenco descaracterizado, cada um como realmente é, muda BASTANTE!

Adorei a peça, gostaria MUITO de ver todas as outras, seria bem legal! Melhor ainda se o colégio marcasse de ver outra no próximo semestre *-*!

Fotos da peça “Memórias de um Sargento de Milícias” enviadas pelo grupo Ria: https://picasaweb.google.com/102105328936479706530/MemoriasDeUmSargentoDeMilicias?feat=directlink

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade de deixar um comentário. Só cuidado com a forma de se expressar, nada de ofensas! Sua participação é muito importante no "Ler é Conhecer", ;)!