Páginas

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Resenha: “O Diário de Bridget Jones” de Helen Fielding


Título Original: Bridget Jones's Diary
ISBN: 9788577990610
Páginas: 319
Editora: BestBolso

Tradutora: Beatriz Horta
Avaliação: 5 estrelas

O livro “O Diário de Bridget Jones” (Bridget Jones’s Diary) é considerado o marco inicial da literatura Chick Lit, romances bem-humorados para mulheres modernas. Foi lançado 1996 e foi adaptado para o cinema em 2001. No filme, Bridget é interpretada por Renée Zellweger.

A autora, Helen Fielding, nasceu em Yorkshire, Inglaterra, em 1958. Formada em jornalismo, trabalhava para a rede de televisão BBC.


Bridget tem uma carreira que não prospera e é apaixonada pelo chefe, Daniel Cleaver. No diário, normalmente, anota o peso, as unidades alcoólicas, os cigarros e as calorias ingeridas. Para começar o ano, faz uma lista de resolução do que irá e não irá fazer. Na festa de réveillon, conhece Mark Darcy, um pretendente que a mãe e a tia, Una Alconbury, insistem que a ela interaja, a final, Darcy é tudo de bom, de acordo com elas.


Bridget tem problemas de autoestima, é neurótica, mas muito engraçada! As reuniões com os melhores amigos são sempre regadas a álcool e um apoia o outro com relação as dificuldades profissionais e afetivas.


Gostei muito do livro, pois sou um pouco parecida com Bridget Jones. Esse não foi o primeiro Chick Lit que eu li, mas está entre os que eu mais gostei! Depois, assisti o filme, o que complementou legal toda a história.

Um comentário:

  1. Eu nunca tive muita vontade de ler Bridget Jones, mesmo com todo mundo falando que é divertido. Achei o livro por acaso na biblioteca e levei pra casa, mas não consegui passar dos primeiros capítulos :( Não sei se foi porque eu não insiste o suficiente no livro - desisti logo nos primeiro capítulos, que achei bem chatinhos.
    Mas acho que vou tentar de novo, sua resenha me animou! :]

    ResponderExcluir

Fique à vontade de deixar um comentário. Só cuidado com a forma de se expressar, nada de ofensas! Sua participação é muito importante no "Ler é Conhecer", ;)!